segunda-feira, 15 de junho de 2009

O GACS e as más práticas jornalísticas nos Açores - II

Perante os comentários ao post anterior, parece-me claro que o uso e abuso do GACS nos jornais açorianos não deixa ninguém indiferente. Não me interessa aqui defender aquele gabinete governamental, nem tão pouco acusá-lo de todos os males da imprensa açoriana. Só acho que a culpa do mau jornalismo não pode ser só das pressões políticas e económicas, que existem desde tempos imemoriais, sobretudo em terras pequenas como as nossas ilhas.
Senti muito bem essas pressões na pele, vindas tanto do exterior como do interior do órgão de comunicação social que co-dirigi, e sei que é possível contorná-las e sobreviver-lhes, sem perder o profissionalismo e a independência. Pode dar mais trabalho e consumir muito mais tempo e energia, mas a certeza de estar no caminho certo também compensa.
Ninguém disse que fazer jornalismo regional era fácil. Mais do que saber contar histórias ou segurar o microfone, é preciso ter jogo de cintura para enfrentar o poder local ou a fúria dos vizinhos. É preciso ser capaz de distinguir a reunião com o autarca do almoço com o amigo. É preciso ser capaz de não ceder às tentações, que são tão rápidas a aparecer como a multiplicar-se. E é preciso ser capaz de perceber quando é tempo de entregar a carteira profissional e mudar de profissão.
É pena que a maioria dos jornalistas, editores e directores dos órgãos de comunicação social açorianos não pense assim, desmotivando ainda mais os seus próprios leitores. Acho que já era tempo da classe jornalística deixar de ser corporativista e olhar para o seu próprio umbigo com olhos de ver.

3 comentários:

Tiago R. disse...

Coloca também aqui mais uma questão interessante:
A nossa situação insular coloca desafios específicos à deontologia e profissionalismo jornalísticos devido à proximidade e familiariedade (natural) dos jornalistas com os políticos e outros "alvos" da notícia.

Há de com certeza colocar muitas vezes questões complicadas em termos de objectividade.

geocrusoe disse...

apoiado! votos para que, mesmo tendo em conta as especificidades sociais das ilhas, os constrangimentos económicos e as pressões políticas, o bom jornalismo venha a crescer e a triunfar na região. é bom para os açores haver bons jornalistas.

ematejoca disse...

Hoje sem selos!!!


Die Azoren – Paradies im ewigen Blau
Documentário sobre os Açores hoje à noite na ARD