segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

A felicidade de Laborinho Lúcio


De passagem pelo Faial, Laborinho Lúcio defende que
a "felicidade nunca é uma fatalidade", mas antes "uma coisa rara",
que experimenta cada vez que volta aos Açores.
Mais pormenores no novo Fazendo.

2 comentários:

José Quintela Soares disse...

Gosto de Laborinho Lúcio.
Porque é inteligente, o que já não seria pouco.
Porque é um excelente comunicador.
Porque me parece honesto.

Nos tempos que correm...chega.

LB disse...

Eu diria que nos tempos que correm é mais do que suficiente. Mas chamar-lhe-ia ainda uma inteligência sóbria.