segunda-feira, 27 de outubro de 2008

O cinema que dá vida à cidade da Horta


A partir de hoje e até domingo o cinema vai dominar a vida da pacata cidade da Horta, com o arranque da quarta edição do Faial Film Fest, o Festival de Curtas da Ilhas que começa a tornar-se um caso sério no meio cinematográfico.

Criado pelo Cineclube a Horta para estimular a criação e a produção local de filmes, o evento ousou ir mais longe e atravessou fronteiras, começando agora a colher os frutos da sua ousadia com o reconhecimento a nível nacional e internacional.

A presença do realizador brasileiro Fernando Meirelles e a estreia nacional do seu polémico filme "Blindness", inspirado no livro de Saramago, será provavelmente o ponto mais alto da edição deste ano, mas não será o único. A homenagem ao realizador português Fernando Lopes e a ante-estreia do seu último filme "O meu amigo Mike ao Trabalho" promete também dar que falar.

Porque a ousadia é a pedra de toque do Faial Film Fest, a organização foi mais longe e este ano faz arrancar o certame com uma homenagem póstuma ao escritor picoense Dias de Melo, que contará com depoimentos de Victor Rui Dores e Sidónio Bettencourt. Será portanto um Festival de Curtas que dá espaço a outras formas de arte, já que alguns eventos musicais e outras acções paralelas vão também ocupar uma parte importante da programação.

Mas como as verdadeiras ousadias só o são porque desafiaram e venceram, parabéns ao Cineclube da Horta, que com este sucesso dá uma chapada sem luva aos responsáveis pela Câmara Muncipal da Horta, que mais uma vez não deram qualquer apoio financeiro a um evento que projecta bem alto o nome da cidade da Horta.

3 comentários:

Sam disse...

Apoio a 100% esta iniciativa do CineClube da Horta. Dava tudo para estar no Faial até Domingo.

Que este Festival conheça mais (e muitas) edições próximas.

Cumprimentos.

geocrusoe disse...

Concordo que o momento mais notório para o exterior seja a ante-estreia de blindness e a presença do seu realizador... mas o ponto alto é o festival de curtas, este é o coração do evento. O resto ainda bem que veio, é uma enorme honra ter tão importantes pessoas connosco... projectam o festival e enriquecem-no e dão-lhe outras vertentes, tal como o são as acções de formação extra-programa. Qualquer forma o conjunto vale e muito e é com muito orgulho que estou tão ligado ao cineclube.

LB disse...

Quem me dera a mim também lá estar...

Só uma nota para o Geocrusoe:
a projecção mundial de "Blindness" é demasiado grande para que a sua estreia nacional no Faial não seja um ponto muito alto do evento...
Por muita qualidade que tenham as curtas, as expectativas não são, nem podem ser, as mesmas. O que não invalida que esse tal "coração do evento" seja tão bom quanto "Blindness", claro!