domingo, 21 de março de 2010

Por detrás dos poemas

Poemas são dedos lisos,
sem rugas nem escaras marcadas,
são ritmos de outras vidas,
sem a dor das cargas pesadas.

Poemas são linhas tranquilas,
carregadas de paixão,
mas ocas de vida eterna
e ligeiras na sedução.

Poemas são versos pensados
para dizer o que não disseram,
pedaços de sentimentos
que alguns ainda carregam.

Lídia Bulcão

3 comentários:

geocrusoe disse...

Este ano não comemorei o dia da poesia, esta sobreposição dias comemorativas a 21 de Março: poesia, árvore e floresta, além de por vezes coincidir com a Primavera, faz que nenhum dos temas seja bem valorizado.

Gostei do poema, embora também haja poemas mrcados pela dor e nada tranquilos, mas são sempre pensados para dizer o que os sentimentos não disseram.

César disse...

Muito bom!

A ilha dentro de mim disse...

Ao Geo,
Repara que escrevi poemas e não poesia... O poema só por si não têm dor, visto que é uma sequência de linhas, enfileiradas umas atrás das outras. Mas a poesia dos seus versos, essa, pode conter todo um mundo e o seu contrário. Se reparares bem, também estão lá esses paradoxos...

Ao César,
Obrigado!