quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Humidade tem de rimar com sustentabilidade


O outro lado da Caldeira, uma das nossas 12 Zonas Húmidas
(Foto: LBulcão)

Temos ainda “um longo percurso para entendermos a natureza dos Açores, as suas particularidades e valores" e, sobretudo, "para aprendermos a viver com ela num equilíbrio sustentado". As palavras são do botânico Eduardo Dias, em declarações ao jornal Correio dos Açores a propósito o Dia Mundial das Zonas Húmidas, que hoje se celebrou, e não podiam ser mais certeiras.

Todos sabemos que «compreender o valor que tem para nós e ajustar os nossos padrões de vida e de desenvolvimento às condicionantes do meio são atitudes inteligentes e revelam identidade cultural», tal como afirma aquele especialista da Universidade dos Açores. Contudo, o caminho para o futuro é longo e a nossa memória muitas vezes demasiado curta. É, por isso, urgente que interiorizemos esta necessidade como fundamental para a nossa sustentabilidade enquanto povo.

Não basta fazer publicidade às maravilhas naturais dos Açores, nem conseguir classificações especiais para as suas Zonas Húmidas. Não chega amá-las perdidamente, nem exibi-las com orgulho perante os flashes dos amigos e turistas que por cá vão passando. É necessário também estudá-las, conhecê-las e compreendê-las. Só assim as poderemos proteger e preservar devidamente.

Ao contrário do que muitos pensam, cuidar que tudo isso é feito não é uma tarefa exclusiva do Governo Regional dos Açores, nem das entidades ambientais. É, sim, uma responsabilidade de todos e cada um de nós, ilhéus deslumbrados que somos com a beleza das nossas paisagens e ofuscados com desejos de outras glórias. Preservar pode rimar com explorar, mas para que a Natureza dos Açores seja de facto um poema perfeito é essencial garantir sílabas sustentáveis e versos com espaços para um futuro mais verde. Aqui, a humidade também tem de rimar com sustentabilidade.

3 comentários:

geocrusoe disse...

No passado havia um slogan em cartazes do ambiente que dizia: "Conhecer para proteger"
Esta rima só atinge as perfeição quando a paixão por estes ecossistemas rimar com compreensão e nos deslumbrar não só com a visão do coração, mas também a da razão.

A ilha dentro de mim disse...

Exactamente! Sem tirar, nem pôr!

Anónimo disse...

Para que os "versos" tenham a devida rima, serão necessários bons "poetas".
O Povo gosta de "os ler", mas...
as diretizes vs lei tem devir daqueles que foram democraticamente eleitos para tal fim.
Todos sabemos que tudo só funciona bem quando o povo é bem orientado.
Queiramos ou não, é esta a nossa sina.
SM+